Alergias sazonais, autoimunes e intestinais, através da visão Ayurvédica.

Estamos no Outono!

E após a exaustiva estação do verão, na qual as temperaturas atingiram a casa dos 47°C em alguns lugares do Brasil, surgem agora, com a chegada do Outono, as patologias alérgicas. A alergia é um processo que advém do  desequilíbrio de dois importantes Doshas – VATA e KAPHA.

No caso das alergias VATA , é importante que sejam incorporadas as Terapias Shamana, que visam uma melhor irrigação dos canais por onde o Prana (ou ar vital) ingressa no organismo.

Sendo assim, incluir na Dinacharya ou Rotina Diária, o uso do Jala-Neti (lavagem das narinas e sinus com o uso da Lota), e posterior oleação das narinas e dos ouvidos (pingando-se algumas gotas de óleo de gergelim pela manhã), são algumas das medidas que podem, e muito, prevenir a secura dos canais do Prana, além de protegê-los contra a entrada de alérgenos. Mas, como eu havia mencionado anteriormente, não só os Vatas padecem dessas alergias, mas especialmente os Kaphas são suas maiores vítimas.

Para a maioria das pessoas já envolvidas com a rotina Ayurvédica, não é novidade que determinados alimentos e incompatibilidades alimentares podem ser os grandes vilões causadores de processos alérgicos. Infelizmente a Ciência Moderna se aproveita do desconhecimento de muitos e publica diversos artigos sobre Dietas, muitas vezes controversos. Para nós, que estudamos e levamos a sério o Ayurveda, esses artigos se anulam por si só.

Recentemente me deparei com um artigo chamado FODMAP, como sendo “o supra sumo da dietética ” contra vários processos alérgicos, inclusive como solução para a Síndrome do Cólon irritável e muitos outros processos alérgicos e autoimunes.

FODMAP é uma sigla que significa:

Fermentável – o que significa que eles são discriminados (fermentado) por promoverem o crescimento de colônias de bactérias no intestino grosso.

Oligossacárideos – “oligo” significa “poucos” e “sacarídeos” significam açúcares. Estas moléculas são  constituídas por açúcares individuais unidos em cadeias.

Dissacárideos – “di” significa dois. Esta é uma molécula com o dobro do açúcar.

Monossacarídeos – “mono” significa único. Esta é uma molécula de açúcar único.

Polióis – estes são álcoois de açúcar

Estudei e revisei esta Dieta, porém pela visão Ayurvédica conclui que:

Prisão de ventre e Ayurveda

Como toda informação “da moda” no meio médico e nutricional, ela apenas  visa a “supressão” de determinados alimentos que desencadeiam essas patologias, porém sem promover a cura da raiz do problema (causa).

Isso significa que uma pessoa moderna que sofra de Alergias Respiratórias Crônicas (sinusite / rinite) ou Alimentares (Síndrome do Cólon Irritável / Doença de Crohn), se consumisse dessa Dieta, passaria a ficar apenas “limitada ao consumo desses alimentos”,  sem considerar vários aspectos importantes, tais como os processos químicos e nocivos pelos quais passam os mesmos, (processados industrialmente)  para que lhes seja retirado o glúten , o açúcar e a lactose.

Esses processos são piores para o organismo do que propriamente as substâncias.Também não é considerada nessa Dieta restritiva a caseína , proteína ácida presente no Leite e em alguns queijos,  nem considerada a quantidade de fungos e bactérias necessárias para se fazer um Queijo Brie ou Camembert, os quais eles consideram bons.

Em todos esses anos em que pratico o AYURVEDA,  não conheço nenhuma outra dieta que seja individualizada e que estabeleça a comida como medicamento como a Dieta por Biotipo Ayurvédico.

Todas as Dietas modernas são genéricas e isso é o ponto crucial no caso das alergias.

Não conheço nenhum tratamento ocidental que considere o Agni Natural  do paciente (força digestiva) nem que se utilize de ervas e das corretas combinações de alimentos para restaurar a flora digestiva ou promover a não proliferação de bactérias no intestino.

O quê dizer da condição emocional presente na digestão?

O intestino está intimamente ligado ao cérebro e a respiração. Se existe um desequilíbrio cognitivo numa pessoa com baixo Agni, nenhuma exclusão de glúten, açúcar do leite (lactose) vai garantir sua melhora , até porque não existirão somente essas substâncias.

A carga de outras químicas necessárias para a retirada dessas substâncias ditas alérgenas, pode provocar algo muito mais grave do que a própria intolerância.

O que eu penso é que, a cura de um processo alérgico, alimentar ou respiratório em Ayurveda demanda uma anamnese muito profunda em colaboração com o paciente .

Saúde é um processo de entendimento complexo de vários mecanismos e medidas, para que se possa atingir o perfeito equilíbrio entre corpo mente e espírito.

A prova concreta que o Ayurveda nos traz, é que no passado, todo leite continha lactose, todo mundo consumia açúcar, glúten e essas substâncias nunca foram as responsáveis por estas  e outras doenças.

Segundo o Sushruta Samhita, tratado milenar de Medicina Ayurvédica, datado de 200 anos A.C essas doenças sempre existiram, porém, devido a um mix de muitos  fatores .

Tanto alergias respiratórias ou outras milhões de doenças humanas sempre existiram. As causas é que são distintas,  apenas pela diferença de biotipo de cada um e devido às errôneas combinações de alimentos para elas. Doenças autoimunes são especialmente desenvolvidas basicamente em pessoas com desequilíbrio cognitivo, o que leva à algumas células do organismo se auto rejeitarem. Obviamente, alguns alimentos com essa composição também podem ser rejeitados, então qual seria o caminho Ayurvédico para essa cura?

 – Limpar o caminho por onde esse alimento vai passar através de um Detox bem planejado nas Estações de acúmulo , a saber Outono e Primavera (estações Kapha);

 – Restaurar o Sistema Nervoso Central dessa pessoa  através de Terapias pacificadoras do Dosha Vata  tais como  prática do yoga (pranayamas)  e utilização​ de algumas ervas pacificadoras de Vata e Kapha;

 – Levantar a imunidade dessa pessoa, pois é a correta ingestão de alimentos que cria novos tecidos.

 

Então,  o trabalho é “restaurar o caminho!”

Seguir qualquer dieta sem considerar o Dosha, ou seja, sem restaurar a sua individualidade, é como seguir de carro por uma estrada esburacada, e para não quebrar o carro, preferir um caminho diferente. Isso é completamente errôneo.

Se existe um caminho natural, precisamos “consertar a estrada” ao invés de optar por fazer um caminho mais longo e desconhecido. E é isso o que o AYURVEDA considera saudável.

Restabelecer tecidos danificados através de uma alimentação compatível ao Dosha e dar potencial para que este alimento possa fluir. Infelizmente na modernidade, as pessoas preferem sempre o mais fácil, o industrializado, pois não dá trabalho. Por isso a humanidade está doente.

Por fim,  pela minha experiência, quando a doença já está instalada, ou seja, quando a modernidade reduziu o paciente abaixo da crítica, é que ele vem ao Consultório disposto a mudar hábitos modernos. Isso é muito triste.

Mas é exatamente isso que a Indústria da Doença (indústria farmacêutica, alopatia) e o marketing desinformado fazem com as pessoas. Estamos ainda muito distantes do ideal, mas tenho fé que em poucos anos, estaremos comemorando juntos pelo advento do Ayurveda em nossa sociedade.

O objetivo desse artigo é uma chamada de consciência, para que aprendamos a filtrar essas informações. Que o AYURVEDA possa provar e superar todas essas informações incorretas!

 

OM TAT SAT!
AYURVEDA KI JAY !

 

CADASTRE-SE E RECEBA GRÁTIS O E-BOOK ESCOLHAS SAUDÁVEIS
E APRENDA A FAZER O SEU DETOX AYURVÉDICO.

Responsive image

Terapeuta Lalitha (Rosângela Simões)


Terapeuta Ayurveda e Bióloga. Pós graduada pela Brahma Vaidyalaya Ayurveda & Yoga School em Rishikesh. Realizou estágios em diagnóstico em importantes Hospitais Ayurvédicos, destacando-se o Bhaktivedanta Srishti Complex – Maharastra – Índia. Realiza atendimentos em Ayurveda Integral em sua Clínica na Tijuca – RJ | Whatsapp – 21 98872 6904

Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão

Campos obrigatórios são marcados com *